Quinta-feira, 23 de Junho de 2016

Naquela manhã em que a morte fugiu de mim.

125. Houve um momento no futuro, em que sónia disse-me que só existo dentro de mim. Naquela manhã em que a morte fugiu de mim. E eu não me lembro sequer de ter tentado segui-la, procurá-la, chamá-la de longe. Nem sequer um tímido grito para que finalmente descobrisse onde me escondo. Que não se perdesse de mim e acabasse finalmente com este desespero de não saber quem sou eu. Afinal quem é este eu que existe dentro de mim?

publicado por 100destino às 16:57
link do post | comentar | favorito
|

.Novos Destinos

. Vivo Para Te Encontrar.

. Timbres Cor De Fogo.

. Procuro Pelos Espaços Do ...

. Entre Nós Nunca Houve Tem...

. A Tentação Sombria Da Mel...

. Algures Dentro De Nós Exi...

. Onde Colar Os Selos Diama...

. Os Nexos Complexos Finalm...

. A Dor É Apenas Um Estado ...

. o Veneno Tóxico Da Loucur...

.Outros Destinos

.Destinos comentados

Como posso entrar em contato com você?Me mande um ...
lindo
Tantas e tantas vezes que temos este pensamento...
Ninguém saberá responder a isso...
Gostei muito deste excerto, especialmente "Segredo...

.Destinos antigos

.subscrever feeds