Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

100Destino

Onde um destino sem destino procura um destino entre cem.

100Destino

Onde um destino sem destino procura um destino entre cem.

17.11.08

Um Fim


Paulo José Martins

 

Peço desculpa por todo o mal que julgo que lhe fiz. Peço perdão. Peço perdão por todo o mal que fiz a ela. Peço perdão por todo o mal que fiz a toda a gente. Peço perdão, porque sinceramente eu não sabia mais. Sempre tentei dar o melhor de mim. Mas a vida tem as suas ironias e às vezes o melhor que nós podemos fazer simplesmente não é suficiente. Chegamos à vida sem destino e sem um caminho designado, nem sequer um manual de instruções. Temos que seguir o caminho que nos apontam e na ignorância tentar decidir o que será melhor. Sabendo muito pouco da vida e do certo ou do errado é pois bastante normal que as más decisões sejam mais frequentes que as boas. O problema é que muitas vezes as más decisões acabam por ser decisões definitivas nas quais já não mais será possível voltar atrás. Não mais será possível dizer que foi engano e voltar atrás. Perdemos o direito a uma segunda oportunidade, um beneficio da dúvida. E é ai que magoamos os outros e por tabela acabamos magoados também. Porque o mundo não perdoa e tudo o que fazemos volta para nós a dobrar. Portanto a todos os que costumam consciente, subconsciente ou inconscientemente distribuir o mal, não se esqueçam que todo ele ira eventualmente voltar à origem como uma circunferência que se fecha, ao lugar de onde saiu, ao seu principio, ao seu ponto de nascimento. E agora tendo tempo suficiente para crescer e aumentar de ferocidade irá atingir o seu fomentador com tamanha força que mal se poderá aguentar de pé e conseguir ter tempo para pensar o que é que fez para merecer o que lhe está a acontecer. Merece quem causa a desgraça alheia que ela volte para si. Julgo ser isso que me aconteceu a mim, se bem que não tenho a mínima ideia do porquê. Já vasculhei os recantos mais obscuros da minha memória e não faço ideia de ter feito tanto mal assim para merecer um final tão hediondo.