Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

100Destino

Onde um destino sem destino procura um destino entre cem.

100Destino

Onde um destino sem destino procura um destino entre cem.

03.08.14

Ultimo fôlego


Paulo José Martins

 

As palavras escorrem-me do rosto inofensivo e tudo se torna claro. O musgo da cidade fantasma aclarece o coração selvagem de quem se esconde. Procuro o raio negro que me trespassará de um mundo vivido. E no seu abraço morrerei apenas e só.

 

Sinto a amargura vogar nas planícies do desespero e nunca, mesmo nunca, deixo a esperança germinar neste coração ansioso. Conseguirei alguma vez sobreviver a mim? Estendi a mão e alcancei a duvida. Apertei dentro do meu peito até de si germinar um grito de sangue.

 

Estarei vivo sempre que a palavra surja como um manto de estrelas num frio de inverno. Estarei sempre de braços estendidos a cadência dos lamentos e neste naufrago papel redijo o meu ultimo fôlego.