Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

100Destino

Onde um destino sem destino procura um destino entre cem.

100Destino

Onde um destino sem destino procura um destino entre cem.

31.08.14

Um viver infinito.


Paulo José Martins

 

Passei a noite vegetal deitado na sincope decúbito exigindo de mim uma insónia fantasma. Horas da madrugada a tique tactear para o horror sustenido das almas que assustei. E tudo neste mundo existe num suspiro transpirado que goteja da fronte inclinada de um tresloucado.

 

Todo o gume de aço reverbera ao tocar um rift nas cordas desafinadas das veias de um momento fractal. Somos todos deuses pecadores de alma contemplada na mão. E naquele momento em que a dor se torna pequena, inaudível é que crescemos sabendo que nunca iremos morrer na gestação.

 

Dentro de mim existe um relógio que toca a música de um viver infinito.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.